Translate

30.6.17

Tudo muito rápido

Esta semana começou de forma muito intensa e delicada. 
No fim de semana tive concerto com a Orquestra, no domingo acordei muito doente e fui levar uma pica ou então não havia Just Duet para ninguém.
Passou o Dinis e o Luis foi embora, sempre um misto de alegria com tristeza, confesso, todos merecem muita coisa boa. 
Quando cai na cama nem acreditava que estava na minha cama com os meu gatinhos e a sentir o cheirinho da roupa lavada ( confesso sou obcecada com o cheiro a fresco da roupa e de casa ) 
Na segunda portanto acordei podrinha da silva e assustada, no dia seguinte ( terça ) era a grande gala, " Juntos por todos " ! 
Respeito, muito respeito e peito arrepanhado com o exemplo ético, moral, uma lapada na cara do Narciso.
Pisar aquele palco, ver a cara das pessoas na plateia, a dedicação com que toda a equipa técnica e dos " senhores das secretárias " que são todas as pessoas que nos fazem conseguir fazer o que fazemos no palco, a energia no ar, o silêncio, porque sim, o burburinho que se ouvia era silêncio para uma sala tão grande como aquela é a quantidade de pessoas que lá estavam. O valor que se conseguiu! Tudo! Tudo foi motivo de orgulho naquela noite, naquele dia. Senti-me feliz de tão profundamente triste que eu estava.
Dormi na minha cama de novo, com os meus gatos que nunca me deixam só. 
Fiz uma compota de figo! 
O Nuno Carvalho no sábado veio fazer fotos com a orquestra e levou-me uma caixa de figos, aí como eu adoro figos, adoro tanto, tanto. 
Fiz uma super linda e boa compota que guardei para o fim da dieta hahahah 
Só faltam duas galas para o Just duet terminar. 
Estou muito orgulhosa dos meus meninos e confesso que já paira uma nostalgia no peito. Andei a escolher musicas para cantar com eles, a ensaiar as mesmas a descobrir outras, pelo meio fazia directos no instagram é assim doente em casa sozinha ti ah até companhia para jantar :) 
Hoje de manhã houve ensaios para este fim de semana, vai ser bonito, muito bonito. 
Já estou no avião. 
Para Madrid. 
Há a parada gay 🏳️‍🌈 
Os saldos começaram hoje por lá, disse uma amiga esta manhã
Uma menina deu-me umas moradas para lojas de segunda mão ( a minha loucurness ) 
Trazia um livro do Machado de Assis, não sei porque tenho medo dele e então deixei-o, trouxe outro, também dele.
É que tenho um carinho muito grande por ele
Por causa das doces frases de poesia perdida ( como gosto de chamar nas minhas notas ) 
Trouxe o Don Casmurro
Comecei a ler e pus os phones
Lembrei-me do Sequeira Costa do nada e do prazer que sinto ao ouvi-los tocar Chopin
Fui comprar à net
Deixei o livro
Vim escrever o post
Tinha estas coisas para dizer 
Estou em offline, estou nas nuvens e está tudo azul com pedaços de algodão no ar, está uma cena bonita, de paz
Quando partilhar estará escuro e com as estrelas a brilhar
Aqui em cima da sempre está sensação de que tudo está bem ou que vai ficar tudo bem
Está sempre tudo lindo aqui ☁️ 


 

6 comentários:

  1. Sinto-me o pior fã do mundo por não saber que este cantinho existia.

    Gostei muito de te ler e parece que tenho muito ainda por ler agora.

    Beijinhos <3

    ResponderEliminar
  2. O céu e mais os algodões no ar são sempre muito bonitos e fazem ver que a vida é tão simples e tão relativa, embora por vezes tão difícil e desafiadora.

    Boa viagem, bom concerto e boas leituras de Machado de Assis :)

    Beijos!

    ResponderEliminar
  3. Bom...eu desde q conheci sua musica tenho cia perfeita quando sinto-me só! A musica...os livros...têm esse poder! Talvez por isso sinto vc minha amiga, próxima, assim como muitos fãs ja ouvi dizer! Vc c sua voz, invade minha casa, minha cozinha, a cozinha da vizinha, e nem ela se sente mais tão só! Nunca estamos só! Beijinhos de quem te aguarda novamente aqui no Brasil! Te adoro!!! ��������

    ResponderEliminar
  4. Gisela! Lembro-me perfeitamente
    da primeira vez que ouvi o Sr.Extraterrestre. Lembro-me pois estava num dia em que tudo me correra mal, e foi precisamente o Sr.Extraterrestre que me deixou a rir para o dia. Pouco tempo depois já sabia a letra de cor e salteado, e como essa começei a aprender as outras. Falei logo de ti à minha professora de literatura e às minhas amigas. Todas ficaram conquistadas e a pedir-me que lhes apresentasse mais fados teus. Felizmente tive a oportunidade de te ouvir no coliseu de Lisboa, bilhete que me ofereceu o meu pai no meu aniversário e, mais tarde, fui convidada para um evento privado onde irias cantar. Tudo por acaso. Tal como foi o acaso de te ter encontrado a fumar um cigarro com a Estelle se não me engano. Consegui umas fotos e posso-te dizer que me fez a semana. Fiquei tão feliz por aquele bocadinho que tu e o meu Pai me proporcionaram que quando contei às minhas amigas elas vibraram tanto como eu por saberem já como sou. Sabem que me sinto bem quando te ouço, talvez por me identificar com os poemas que cantas, ou mesmo com o pouco que ouvi de ti mesma. Mas, para concluir, quero agradecer-te imenso por sem saberes me ajudares. Até no exame de 11° de Literatura Portuguesa me ajudaste a semana passada (hehehe). Um beijinho grande Gisela! Muito muito obrigada!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo1/7/17

    O Sr. Extraterrestre é uma péssima canção e outra coisa com que não concordo é com a maneira como escreve português. Os acentos todos trocados ou inexistentes. A internet já está tão cheia de maus exemplos...
    A Gisela é uma pessoa muito querida, mas não poderia deixar de dar a minha opinião. A imagem não é tudo.
    Temos que dar o exemplo.
    A beleza também se vê na partilha de bom português para as gerações futuras não pensarem que se pode fazer tudo.
    Tudo de bom para a menina,
    João Ribeiro

    ResponderEliminar
  6. Não sei porque perde tempo em vir para aqui dizer essas coisas! Mania dos tugas andarem a corrigir os outros! O que ganha com isso? Seja feliz e guarde esses comentários para si.

    ResponderEliminar